November 17, 2019

November 1, 2019

Please reload

Posts Recentes

Avisos

November 17, 2019

1/3
Please reload

Posts Em Destaque

Dom João Justino: “A cruz é o lugar em que Deus fala no silêncio”

April 19, 2019

O catecismo ensina que “o altar da Nova Aliança é a cruz do Senhor, de onde dimanam os sacramentos do mistério pascal”. O arcebispo de Montes Claros (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e a Educação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom João Jutino de Madeiros Silva, escreveu sobre o “poder radiante da cruz”. A reflexão para esta Semana Santa salienta a importância da cruz para o povo cristão, especialmente no tempo quaresmal e na Semana Santa. Para o arcebispo, ao contemplar a cruz de Jesus, o cristão compreende sua vocação.

 

“É perceptível como é forte a sensibilização das pessoas com o sofrimento do Senhor. A sexta-feira da paixão conta sempre com a presença e participação maciça de fiéis. Na verdade, os cristãos reconhecem Jesus como homem das dores, pois sua vida, como nos relatam os evangelhos, foi toda orientada para a cruz”, escreve dom João Justino. Nesta Sexta-feira da Paixão, as celebrações em todas as comunidades devotam especial momento para a Adoração da Cruz. “Aos que participam piedosamente da veneração da Santa Cruz e beijam devotamente o Santo Lenho”, a Igreja concede uma indulgência plenária, conforme o Manual das Indulgências.

 

“O julgamento, a flagelação, a coroação de espinhos, o caminho do calvário e, finalmente, a crucifixão revelam, em Jesus Cristo, o amor de Deus”, ressalta o arcebispo. Na dor humana – continua – “revela-se o coração amoroso do Deus Trino que, em Jesus, despojou-se e assumiu o fato mais doloroso da vida: a morte. A cruz justifica a audácia de pronunciar a palavra, para muitos escandalosa: por amor e comunhão radical com o ser humano, Deus sofre!”.

 

Dom João Justino prossegue refletindo sobre a morte de Jesus a partir da cruz: “A cruz é o lugar em que Deus fala no silêncio. Na solidão da morte, Jesus alcança cada ser humano, que pela morte haverá de passar. De sua cruz brota a ressurreição”.

 

A partir deste pensamento, recorda a oração contida no prefácio número 1 da Paixão do Senhor: “O universo inteiro, salvo pela Paixão de vosso Filho, pode proclamar a vossa misericórdia. Pelo poder radiante da Cruz, vimos com clareza o julgamento do mundo e a vitória de Jesus crucificado”.

 

Aprender da cruz e compreender a vocação
Aos cristãos, discípulos do Crucificado-Ressuscitado, a cruz é “escola de despojamento e esvaziamento”. Dom João Justino sinaliza que se aprende na cruz que nenhum ato de violência é justificável e que nenhuma morte, de quem quer que seja, pode ser comemorada.

 

“Contemplando a cruz de Jesus, o cristão compreende sua vocação. Ele, como o Senhor, há de dedicar-se pela causa do Reino para fazer dos calvários da terra lugares de ressurreição, de justiça e de vida plena”, ensina dom João, que conclui: “Traçando a cruz do Senhor sobre si mesmo o cristão vive sob a sombra dos braços abertos de Cristo, sinal eloquente do amor de Deus que nos banhou com o sangue de Jesus e fez de nós novas criaturas”.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo